Sete dicas para se mandar para o exterior

Especialista orienta sobre principais passos a considerar na hora de planejar a temporada fora do país

para quem está pensando em passar uma temporado no exterior, seja para aprender um novo idioma, ampliar o networking, adquirir novos conhecimentos ou aprender uma nova cultura e até agregar pontos importantes no currículo, existem algumas informações a levar em consideração na hora de fazer o planejamento e fazer as malas.

Marina Jendiroba Moura, Diretora Executiva da agência Mais Intercâmbio, destaca que existem paises que estão mais atrativos, em virtude da moeda não estar tão valorizada frente ao real. Como é o caso de Austrália, Canadá e Nova Zelândia, que apresentam uma taxa de câmbio mais favorável, em relação ao dolár americano, em até 30%. Segundo ela, independente do destino, a maior procura é por cursos de idiomas, e que eles são extremamente valorizados no mercado de trabalho, podendo ser o grande diferencial para vencer a disputa por uma vaga.

"Vivendo no exterior, seja em uma curta ou longa temporada, a pessoa consegue melhorar o conhecimento da língua local, ganha segurança na fala, até obter a fluência. Aliado a isso, é importante considerar que a experiência no exterior ajuda a pessoa a aprender a lidar com o inesperado, se tornar mais resiliente, flexível, adaptável, aberto a culturas e modos de viver diversos. Tudo isso é muito enriquecedor e conta a favor no ambiente profissional. Além disso, o intercâmbio possibilita a construção de relacionamentos com pessoas de todas as partes do mundo. Esse networking é valorizado principalmente por multinacionais, que precisam de pessoas que possam se conectar com pessoas de outras cidades ou países e, futuramente, tornarem-se líderes globais", destaca Marina.