Seu Facebook pode ser stalkeado até na hora de conseguir crédito

É possível que você faça parte da grande maioria da população que passa, em média, 650 horas por mês navegando pelas redes sociais. Sim, os brasileiros são líderes em tempo gasto nestas plataformas, com uma média 60% acima dos outros países. Pois bem, com o aumento das interações online, estas mídias têm ganhado novos usos, veja alguns deles:


Na entrevista de emprego... e no emprego

Engana-se quem pensa que recrutadores restringem-se ao uso do LinkedIn, plataforma focada em networking dentro do mercado de trabalho. A tendência nas empresas de Recursos Humanos é pesquisar cada vez mais candidatos por meio de suas redes sociais. Além de buscar informações sobre o perfil comportamental destes, há empresas que encontram profissionais que nem se candidataram – isto porque rastreiam características em seu histórico profissional ou buscam contatos em comum para indicações.


Vale lembrar que mesmo depois de contratado(a), colegas e chefes continuam com acesso às suas redes, portanto, é preciso refletir antes de postar algo polêmico ou íntimo demais. Além disso, você pode usar as redes a seu favor, publicando mais artigos de jornais ou estudos interessantes, por exemplo.

Na hora de pedir um empréstimo online

Há plataformas de crédito pessoal, como a brasileira Simplic (www.simplic.com.br), que usam Big Data e APIs para tomar decisões. O processo é complexo, mas pode ser explicado de maneira simples: é como se pequenos robôs pudessem juntar milhares de pedaços de informações de diversas fontes e definir pela soma delas se o usuário poderá ou não conseguir um empréstimo. Isto é bom porque não há humanos opinando, então as mesmas regras valem para todos. É positivo também pois a plataforma utiliza mais de 200 fontes de dados, e não apenas uma dúzia deles, e isto dá aos solicitantes muito mais chances de terem seu empréstimo pessoal aprovado.


Momento da paquera

Talvez você já imaginasse que o seu paquera visita ou visitava suas páginas sociais antes mesmo de te adicionar nelas. Provavelmente porque você também faz isso! No mundo dos encontros, a prática é corriqueira. Saber disso é bom para não sair postando qualquer coisa, como uma foto mal tirada ou uma piada que pode constranger alguém.


Por conta das situações mencionadas acima, especialistas da Simplic recomendam que os usuários se informem sobre como tornar informações públicas – aquelas que todos podem ver – ou privadas – quando apenas contatos adicionados têm acesso. Todas as redes sociais têm manuais disponíveis para o usuário e há também muitos tutoriais online que ensinam as características de cada plataforma.


Na plataforma mais usada pelos brasileiros, o Facebook, o usuário deve buscar o símbolo de cadeado no canto superior direito da tela e verificar as opções existentes.


Foto: Divulgação (Facebook News Room)

Últimas notícias

Desenvolvido por

 

 

logocmmais.png