Formações de jovens lideranças é certificado como Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil

Em constante crescimento, a população jovem brasileira entrou em 2017 acompanhada por expectativas pessimistas. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a faixa etária foi a que mais perdeu emprego no Brasil no ano passado: entre as pessoas de 14 a 24 anos, o valor médio das taxas de desemprego trimestrais subiu para 27,2%. Dentro deste cenário, estimular a formação e capacitação de jovens lideranças se faz necessário para gerar uma mudança positiva de perspectiva, como a vista na vida dos mais de dois mil alunos do Programa Jovem Sustentável – Cidadania Digital (PJS), que conquistou o certificado de Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil.


Desenvolvido pela Fundação Alphaville, o PJS – Cidadania Digital consiste na formação de lideranças juvenis por meio de ferramentas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) integradas ao conceito de Sustentabilidade Integral. A formação, que soma 100 horas/aula ao longo de um semestre, desenvolve competências técnicas e teóricas em informática, estimulando também a participação social. Ao final do curso, o grupo elege um espaço público para passar por uma transformação territorial, onde eles são os responsáveis por fazer as parcerias e captar os recursos necessários para a ação.


A falta de oportunidades gratuitas de qualificação profissional encontrada no município de Eusébio (CE) levou ao início do projeto, em 2007. “Nossa metodologia de trabalho é pautada pela construção coletiva de soluções de desenvolvimento, partindo dos sonhos individuais e coletivos das comunidades onde atuamos para identificar quais são os potenciais locais e de que forma eles podem ser usados a favor do desenvolvimento local”, explicou Fernanda Toledo, gerente de Sustentabilidade da Fundação Alphaville. “O interesse por cursos de capacitação para os jovens foi o motivador apontado pelos moradores da região, e o envolvimento do setor público favoreceu o desenvolvimento do programa, pensado em parceria com a Prefeitura Municipal de Eusébio”, contou.


Ao longo dos anos, o Programa Jovem Sustentável se desenvolveu e ganhou corpo, expandindo para Sergipe e alcançando mais de dois mil alunos formados. E o primeiro reconhecimento externo chegou em 2015, com o projeto ficando entre as cinco melhores práticas sustentáveis pelo Selo Benchmarking.


Em sua 9ª edição, o Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social reconhece iniciativas capazes de causar impacto positivo e efetivo na vida das pessoas e passíveis de serem replicadas. Realizada a cada dois anos, a premiação é considerada uma das principais do terceiro setor no País. As metodologias certificadas passam a compor o Banco de Tecnologia Social (BTS) da Fundação BB, que agora conta com 995 iniciativas aptas para reaplicação.


“Fazer parte do Banco de Tecnologias Sociais dá credibilidade ao Programa Jovem Sustentável – Cidadania Digital como uma ferramenta aplicável em todo território nacional para solução de problemas sociais relacionados à liderança e protagonismo juvenil”, disse Toledo. “Além disso, agora qualquer pessoa poderá acessar nossa metodologia através do BTS, e isso possibilitará um maior alcance do nosso projeto”, completou.


Foto: Divulgação.

Últimas notícias

Desenvolvido por

 

 

logocmmais.png