Evento busca resgatar as raízes do passado para celebrar o pequeno produtor

03.10.2019

A campanha "Respected by Gaggenau" tem como objetivo prestigiar e valorizar pequenos produtores, que preservam suas produções em pequena escala, feitas de maneira única e artesanal, muitas delas passadas de geração para geração. Desta forma, segredos de fabricação e o conceito de exclusividade perpetuam ao longo do tempo. O lançamento da campanha no Brasil será em Outubro, no showroom em São Paulo, com uma degustação dos exclusivos queijos de ovelha produzidos por Mônica Jacobsen, na Fazenda Quinta da Pena, na Serra Fluminense.

 

A Gaggenau identifica como pares, artesãos com ideais semelhantes que valorizam, acima de tudo, a qualidade. Desde os agricultores que preservam raças raras, cultivam cereais tradicionais, caçadores de trufa, produtores de vinho aos que fazem produtos maravilhosos à mão utilizando técnicas antigas. A marca acredita que o progresso é justamente olhar para trás, buscar nas raízes as diretrizes para o futuro.

 

Welsh Black - raça bovina não ideal para a agricultura em larga escala (Foto: Divulgação)

 

O que determina a perpetuação de uma marca é a tradição, manufatura e seleção de matéria-prima excepcional, logo, economias de escala, produção em massa e a industrialização, são fatores que vão na contramão do conceito criado pela Gaggenau em 1683, no qual a exclusividade, personalização e o design sempre clássico e atemporal foram primordiais para fazer da marca o que ela é atualmente. Ainda hoje, 90% da produção da Gaggenau é manual, reconhecendo as habilidades dos artesãos que fabricam um eletrodoméstico especial para pessoas especiais.

 

Marly e Stephanie Skok, que comandam a operação da Gaggenau no Brasil, consideram que a valorização do pequeno produtor tem espaço para lançar a campanha no mercado nacional, que conta com produtos tão bem feitos e exclusivos quanto no exterior. “Identificamos no Brasil também os mesmos valores que fizeram essa campanha nascer na Alemanha, nas nossas origens. São pessoas, regiões, culturas, animais raros, pequenas produções e artesanato que refletem exatamente o que a Gaggenau busca passar em termos de história, cultura, humanidade e amor ao que se faz”, explicam a campanha.

 

Segundo Sven Schnee, chefe de marca global de 2008 até 2018, foi na Floresta Negra, durante uma tempestade, que a equipe de marketing da Gaggenau estabeleceu a ideia por trás do conceito da campanha. "Estávamos falando sobre de onde viemos como marca e como podemos nos tornar uma cultura no centro de uma comunidade, refletindo os mesmos valores, a mesma essência e a mesma filosofia. Ao focar no significado do respeito, a mensagem subjacente do conceito destaca a necessidade de proteger, preservar e cultivar a singularidade", finaliza Schnee. 

 

Welsh Black – Símbolo mundial da campanha

 

Os raros e belos Kerry, Hinterwälder-Rind e Welsh Black não são raças bovinas ideais para a agricultura em larga escala. Eles exigem muito espaço, tempo ou nutrição. E por causa disso, juntamente com outras variedades, diminuíram com alguns que enfrentam extinção iminente. Se uma linhagem de herança for extinta, quaisquer atributos e genes especiais que ela possuir desaparecerão para sempre. Essas características importantes podem ajudar a preservação de outros animais, como a resistência a doenças ou a prosperidade em condições adversas. Acredita-se que a linhagem negra galesa remonta ao tempo dos romanos, essas vacas incrivelmente resistentes ficam felizes em pastar na chuva ou na neve, mas apenas algumas centenas sobrevivem hoje. O fato de que essas raças extraordinárias ainda podem ser desfrutadas hoje se deve à pequena coleção de guardiões dedicados que trabalham duro para manter a linhagem desses animais históricos e que gostariam de vê-los sobreviver e prosperar no futuro.

 

Please reload

Please reload

Outras notícias

Desenvolvido por

 

 

logocmmais.png