Quarentena exige cuidados contra outras doenças oportunistas

11.05.2020

Muita gente tem partido para o bom humor com a situação, e muitos memes  brincam com o fato de que ficar em casa vai aumentar a ansiedade, consequentemente aumentando a fome, e a prática de  atividades físicas, como caminhada e academia, estarão dificultadas. De fato, descuidar da saúde fará com que o Covid-19 não seja o único problema que vai gerar preocupação. A mudança brusca no estilo de vida pode trazer doenças oportunistas e crônicas, por isso é importante o alerta para não se descuidar dos quatro pilares para uma vida saudável.

 

Endocrinologista Prof. Dr. Filippo Pedrinola (foto: José Iago) 

 

O ideal é adequar o estilo de vida focando no equilíbrio de cinco pilares essenciais ao ser humano: alimentação, controle emocional, atividades físicas e espiritualidade. O Dr. Filippo Pedrinola explica por que é importante cuidar desse conjunto.

 

“O conceito do que seria ter uma vida saudável não se resume apenas à ausência de doenças, mas um sentido mais global que envolve o bem-estar do ser humano. Neste momento crítico, a sobrecarga de informações, juntas ao medo e à sensação de impotência, impossibilitam que a gente consiga tomar o devido cuidado com a mente, afetando todo o resto”, declara o dr. Pedrinola.

 

Hábito alimentar 

 

Fortalecer o sistema imunológico em um período como este é mais do que necessário, e uma alimentação saudável é capaz de prevenir e até mesmo reverter doenças. Tenha uma dieta variada e rica em alimentos como frutas, legumes, verduras e grãos, evitando alimentos processados, com muita gordura e açúcar. Além de reforçar o sistema imunológico, impede a ingestão de calorias em excesso enquanto a pessoa está impossibilitada de voltar a sua rotina normal.

 

Atividade física

 

É possível manter o corpo ativo durante um período de quarentena. Embora a carga e intensidade sejam amplamente reduzidas, isso não é prejudicial e nem fará o seu corpo se desacostumar com o que vem executando até agora nas academias. Faça flexões, agachamentos, abdominais e improvise alteres com objetos em casa. A internet possui diversos tutoriais sobre como se exercitar sem ir a uma academia. Isso ajuda a manter o peso ideal e os exercícios liberam substâncias benéficas ao cérebro que comprovadamente diminuem os efeitos da ansiedade.

 

Espiritualidade 

 

A espiritualidade também deve ser priorizada, e isso nada tem a ver com crenças pessoais ou religião, mas com uma ligação do indivíduo para consigo mesmo, com seus familiares, amigos e com o universo. Meditação e ioga são algumas das práticas que oferecem essa ligação íntima ao indivíduo.

 

Controle do estresse

 

Hoje em dia há quem diga que é impossível viver uma vida sem se estressar. Em partes, é verdade, mas isso não deve predominar na vida de ninguém. Focar nos problemas do agora, por meio do mindfulness, ajuda no controle do estresse e permite levar o dia a dia com mais leveza.

 

“É, realmente, muito desesperador, mas pensar apenas nisso não muda nossa situação. Temos que nos focar na solução do problema, que somos nós mesmos. Cada um fazendo sua parte e se sentindo bem ao fazer isso já é suficiente para que consigamos obter êxito nessa situação”, declara o dr. Pedrinola.

 

Sono

 

A privação do sono também é um dos fatores responsáveis pela mudança brusca de estilo de vida, acarretando em problemas que afetam os hormônios responsáveis por regular a fome, fazendo com que ela surja de forma mais exagerada do que o comum. É durante o sono que refazemos toda a bioquímica celular do nosso corpo, por isso é importante priorizar a hora de dormir, buscando alcançar um tempo de aproximadamente 7h30 de sono para o corpo conseguir completar todos os processos durante as 6 fases do sono.

 

Rinite alérgica é um dos problemas que podem ser agravados

 

Na atual situação e com o isolamento social, muitas pessoas estão aproveitando para fazer limpeza em lugares que normalmente não são limpos, como armários, prateleiras, baús antigos, garagem, cantos úmidos, além da intensificação do convívio com animais de estimação.

“O contato com pó, poeira, mofo, fungos, pelos de animais e uso inadequado de produtos químicos fará com que as pessoas levem as mãos ao nariz, boca e olhos devido à irritação e coceira. Isso ocorre especialmente com os pacientes com rinite alérgica e atópicos, que são aqueles que possuem uma predisposição a reações de hipersensibilidade, que podem agravar também problemas como asma e dermatite”, explica o Dr. Gilberto Ulson Pizarro, otorrinolaringologista do Hospital Paulista.

Com isso, o ideal para a realização da limpeza é o uso de máscara, luvas, ventilação adequada e dosagem correta dos produtos químicos, lembrando sempre de evitar tocar o rosto durante o processo. Ao finalizar a tarefa, a lavagem das mãos deve ser realizada imediatamente.

“Os pacientes que tem rinite, sinusites crônicas, asma, poliposes, herpes orais ou com alguma ferida exposta nas mucosas devem avaliar a real necessidade de limpeza destes locais e verificar se outras pessoas podem ajudar ou fazer por elas essas tarefas. A predisposição genética aliada a uma exposição ambiental, na qual a limpeza vai expor a pessoa ao pó e demais alérgenos, compromete o quadro desses pacientes.  Se não tiver outra maneira, se protejam e, principalmente neste período de pandemia, mantenham controladas suas doenças respiratórias crônicas”, ressalta o médico.  

 

 

Please reload

Please reload

Outras notícias

Desenvolvido por

 

 

logocmmais.png