Primeiro dia do novo rodízio reduz congestionamentos e picos de lentidão

Hoje (11), foi o primeiro dia do novo rodízio municipal de veículos de São Paulo, quem começou ficando impedido de circular foram os carros com placa final par e rodaram as placas ímpares. A nova regra foi adotada pela prefeitura para garantir o aumento do índice de isolamento e, assim, diminuir risco de infecção pelo coronavírus entre a população paulistana.


Estreia do novo rodízio teve resultados positivos, por exemplo, os picos de lentidão foram de 4km. (foto: Alex Ramos/ Pixabay)


Esses picos foram atingidos às 8h, às 14h e entre 18h e 18h30. Na segunda-feira passada (4/5), os picos foram de 21km, às 8h, na parte da manhã, e de 24km, entre 18h e 18h30, no período da tarde, início de noite.


Quanto à comparação do índice de congestionamento, os picos desta segunda-feira foram de 5km, atingidos às 14h e às 18h. Os picos de congestionamento da segunda-feira passada foram de 11km, registrados entre 8h e 9h da manhã, e de 8km, às 13h.


Esses números positivos foram obtidos mesmo com a carreata que percorreu a cidade entre as marginais e a Avenida Paulista durante o período da tarde e da noite, gerando trânsito. A CET informa que, no trajeto percorrido pela carreata existem equipamentos de fiscalização eletrônica que detectam o descumprimento da Zona Máxima de Restrição de Circulação (ZMRC). Além dos equipamentos, agentes de trânsito também acompanharam as manifestações e autuaram os caminhões conforme identificaram irregularidades, como, por exemplo, pelo uso indevido de buzinas.


Em relação ao transporte público, a SPTrans informa que a frota operacional de ônibus em São Paulo é de cerca de 12,8 mil ônibus, que realizam 9 milhões de embarques de passageiros por dia útil, em média.


Na última segunda-feira, 4/5, a cidade operou com 53% de sua frota e 31% dos passageiros transportados antes da quarentena. Hoje, 11/5, foram acrescidos mais 1.000 ônibus e 600 foram alocados em bolsões de apoio, chegando à marca de 65,5% da frota em operação.


Nos horários de pico, foram utilizados os 600 ônibus disponíveis nos bolsões localizados em pontos estratégicos a fim de atender todas as regiões da cidade. Os veículos à disposição são utilizados no reforço do atendimento em alguma linha, quando necessário.


As equipes de campo da SPTrans monitoram a movimentação de passageiros e faz os ajustes necessários para adequar a frota à demanda e garantir o transporte público à população, em especial aos trabalhadores de serviços essenciais.


Ainda tem dúvidas sobre as novas regras? Clique aqui, e saiba todos os detalhes.

Últimas notícias

Desenvolvido por

 

 

logocmmais.png