Aprenda a usar o Linkedin

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) indicam que, já no primeiro trimestre deste ano, o país deve alcançar a marca de 10% brasileiros desempregados. Na era da comunicação digital, redes sociais profissionais, como o Linkedin, podem ser as ferramentas mais assertivas na hora de procurar uma recolocação. Saber como usar adequadamente essa plataforma pode fazer toda a diferença, garante o professor do curso de MBA em Gestão de Pessoas da Faculdade Anhanguera de Sumaré, Rodrigo Ferreira de Lima. “O processo seletivo se divide em duas etapas: o recrutamento e a seleção. A primeira etapa se trata da captação dos currículos e, por isso, o Linkedin deve estar atualizado”.



Com 15 anos de experiência na área de Recursos Humanos, o professor afirma que redes sociais profissionais trouxeram agilidade aos responsáveis pelo recrutamento e seleção das empresas, uma vez que as empresas conseguem divulgar suas vagas instantaneamente, além de efetuar buscas mais rápidas por candidatos. Mas, o especialista também lembra que o Brasil ocupa a 3ª colocação no ranking de usuários no Linkedin, com mais de 20 milhões de inscritos e, por isso é importante saber usar a ferramenta para chamar a atenção do recrutador. “Na página inicial deve constar um resumo das principais experiências e qualificações. São essas primeiras informações que farão com que o recrutador avalie o perfil completo do candidato”, explica Lima.


O espaço destinado ao detalhamento das informações também merece muita atenção na opinião do especialista que aconselha que o usuário, além de especificar a sua formação e os cursos que realizou, aproveite o espaço para ressaltar as responsabilidades ou atividades que exerceu em cada cargo. Outro ponto importante é citar os projetos que o indivíduo desenvolveu ou participou, assim como seus resultados. “Muitas vezes, um cargo em uma determinada empresa pode não possuir as mesmas responsabilidades e atribuições em outra e essas informações ajudam o RH a definir se incluirá o candidato nas outras etapas do processo seletivo.”


O professor da Anhanguera lembra que não adianta ter perfil atraente no Linkedin se as informações postadas não forem verdadeiras. Na etapa de seleção, que seria a entrevista, o recrutador avalia mais detalhadamente as informações dadas pelo candidato e a transparência é fundamental em todo o processo.

Últimas notícias

Desenvolvido por

 

 

logocmmais.png